12/01/2015

50 anos da ABRH Nacional: evoluindo junto com a história

por Leyla Nascimento*

A ABRH Nacional nasceu da aspiração de profissionais que desejavam que a área de Recursos Humanos tivesse força para formar e transformar organizações em empresas mais produtivas e conscientes de seu papel no contexto socioeconômico do país. Desde de 1965, quando ainda era Abape – Associação Brasileira de Administração de Pessoal, trabalhamos arduamente para desenvolver projetos que disseminem valores e boas prática, por acreditarmos que são algumas das missões mais importante que o RH pode deixar não só para o mercado de trabalho, mas para as futuras gerações.

Prestes a comemorar 50 anos de atuação, trazemos conosco o orgulho por ter contribuído para a evolução deste setor, que cresce a cada dia, tornando-se parte estratégica em uma corporação. Fazendo uma reflexão sobre todos esses anos do Recursos Humanos no Brasil, relembramos as fases vividas desde o começo de nossa atuação e a evolução do setor ao longo desses anos.

Foi ainda na década de 60 que surgiram as primeiras representações da área de Recursos Humanos, o que marcou a história do RH, pois empresas começam a valorizar o trabalho em equipe. A representação nacional surgiu em meados desta década e teve como marco o dia 13 de novembro de 1965. Nessa data, no Instituto Agronômico de Campinas, interior paulista, foi criada oficialmente a Abape – Associação Brasileira de Administração de Pessoal, hoje, ABRH-Nacional.

Na década de 70, o RH era constituído por profissionais da área de administração e com isso viveu uma época focada em leis e processos. Surge nas grandes empresas um departamento de Recursos Humanos e os profissionais de RH eram chamados de administradores de pessoal. Neste mesmo período a Abape passa a ser Abape Nacional.  Já na década de 80, sofreu forte influência de psicólogos, tornando a área mais direcionada, voltada e preocupada com os colaboradores e não só com os interesses das empresas. O papel do RH nesta fase tornou-se coletivo e Abape Nacional torna-se ABRH – Associação Brasileira de Recursos Humanos e em, 83, a ABRH Nacional.

Contudo, com os anos 90 vieram novos formatos de atuação baseados nas fusões, aquisições empresariais e nas terceirizações de serviços. O que nem sempre beneficiava os colaboradores. É nesta fase também que nasce Outplacement, profissional de Recursos Humanos que auxiliam na transição de carreira e recolocação dos profissionais no mercado.

Desde de 2000 pra cá, o RH busca por mudanças e inovação, em um mundo que vive em evolução, troca de experiências e novos aprendizados.  Por isso, o profissional de RH deve estar em processo de reciclagem constante. Conciliar as multiplicas características dos colaboradores e os anseios da corporação. Permitir um espaço de expressão, respeitando e desenvolvendo valores nesses profissionais. E esse olhar sobre as pessoas, vindo do Recursos Humanos, é um olhar que precisa ser estendido e ampliado para que toda organização, especialmente às lideranças no Brasil.

A vanguarda do RH aprende com o passado, desenvolve o presente e constrói o futuro. Diante de um mercado cada vez mais flexível e versátil, o contrato de trabalho terá que se reinventar no sentido de atender às necessidades do empregador e, ao mesmo tempo, resguardar as necessidades do colaborador. Nós na ABRH estamos muito felizes com a forma que a área de Recursos Humanos vem caminhando no Brasil, e temos que comemorar a grande importância que o nosso setor vem recebendo.

 O RH conquistou um espaço importante, atuando efetivamente na melhora do trabalho e nos resultados das organizações. Deixou de ser apenas o gestor da remuneração para atuar estrategicamente, ao lado das altas lideranças. Hoje ele atua na cultura, na individualidade como necessidades de crescimento pessoal e profissional. Também gere o ambiente de relacionamento e ainda trabalha na seleção e no treinamento. E mais do que isso, contribuindo para a capacitação dos profissionais que estão nas organizações.

Nestas cinco décadas atuando em cenários dos mais adversos, a ABRH-Nacional conquistou credibilidade, consolidando-se mundialmente como uma instituição representativa e mobilizadora. Utilizou sua influência e fonte de referência em gestão de pessoas, para motivar e promover ações que estimulassem a inclusão social no cenário das relações do trabalho. Disseminou conhecimento sobre o mundo do trabalho para desenvolver pessoas e organizações, influenciando na melhoria da condição social, política e econômica do país. Os últimos 15 anos mostram o quanto a área de Recursos humanos fez um papel diferencial no desenvolvimento do país.  

Para que essas ações sejam efetivas e abrangentes, contamos com 22 seccionais integradas na missão de promover respeito à dignidade das pessoas, desenvolvimento da cidadania, postura legal, ética e apartidária, excelência nas ações e austeridade e crescimento sustentado. 

*Presidente da ABRH Nacional